TRILHA ECOLÓGICA NA SERRA DE ITABAIANA SERGIPE

No último domingo dia 17 de maio, o Econativus levou um grupo de universitários para conhecer a Serra de Itabaiana, o maior objetivo da trilha além de proporcionar um dia de lazer, foi de chamar a atenção dos jovens aos cuidados que todos nós devemos ter com a natureza. O grupo composto por 38 pessoas recolheu grande parte do lixo encontrado na trilha do caldeirão e se comprometeu em sempre que por ali passar fazer a sua parte de não deixar lixo e recolher o lixo dos demais. Um dos pontos que mais nos chamou atenção foi à grande quantidade de lixo ali encontrado. “Ver tanto lixo espalhado na Serra de Itabaiana causa uma grande indignação” comenta Efraim aborrecido com tanta poluição. Todos nós devemos fazer a nossa parte, não só na Serra de Itabaiana mais em todos os lugares públicos onde visitamos, sejam eles praças, parques e ruas. A natureza agradece e nós do Econativus também.

MAIS DICAS PARA UM BOM ACAMPAMENTO

FOGUEIRA - Para fazer uma fogueira mais rápido, faça um cálice com lenço de papel ou papel higiêncico enrolando nas mãos, depois encha o cálice com óleo de cozinha. Coloque o cálice com óleo no centro da fogueira, cubra com madeira. Agora é só queimar as bordas do cálice, o óleo segura o fogo e queima a madeira de uma forma mais eficaz.

FORMIGAS - Depois da barraca montada faça uma fogueira, espere ela apagar completamente e separe suas cinzas. Faça uma pequena vala em volta de toda a barraca (depois das cordas) e vá despejando as cinzas. Isso afastará as formigas. Outra solução é fazer que todos os garotos e garotas façam xixi na vala (sem a cinza). Também funciona, mas o cheiro não é nada agradável. Tente a primeira opção.

REPELENTE - Coloque em um recipiente cravo da índia amassado e álcool, deixe de molho por duas ou três horas depois é só passar no corpo.

HIDRATAÇÃO - Colocando um colher de chá de sal de cozinha por litro de água em seu cantil, você aumenta a quantidade de sais minerais presentes em seu organismo, possibilitando uma maior hidratação.

COBRAS - Para evitar o apa
recimento de cobras, principalmente próximos a pedras, espalhe pedras de carbureto ao redor do acampamento. O cheiro ativo manterá elas afastadas.

HIGIENE PESSOAL - Procure em campings selvagens não fazer suas necessidades fisiológicas junto ao acampamento. Para isso procure um lugar afastado e improvise uma latrina da seguinte forma:

* Afastadado mais ou menos 20 metros do acampamento cave uma cova de 50 cm de profundidade.

* Cada vez que for usada a latrina é colocada uma camada de terra.
* Tampe o buraco quando terminar o acampamento.

Dessa forma você evita mal cheiro em seu acampamento, e para as pessoas que visitarem o local posteriormente.

LEMBRETE - Sempre leve embora consigo o lixo produzido pelo acampament
o, não suje nem destrua coisas que a natureza levou anos para fazer.

ALGUMAS DICAS PARA UM BOM ACAMPAMENTO

1 - Respeite quem lhe proporcionou chegar até o acampamento. O caminho? A natureza que está nele e no local de destino, seja no campo, mata ou praia. Nada de apanhar mudas de plantas, flores, corais, cortar madeira de árvores, atirar lixo seja lá em que canto for, sujar riachos, rios, ou a própria trilha entre outros. Se você não respeitar esse local, provavelmente ele não existirá mais daqui algum tempo!

2 - No camping selvagem (em muitos locais, já proibido por causa da falta de respeito de alguns usuários), nunca monte sua barraca próxima às margens de um rio. No caso de uma chuva forte, sua segurança e de tudo que levou podem ir por água a baixo. O mesmo serve se estiver na praia: nada de ficar próximo ao mar.

3 - No caso do camping selvagem em mata fechada, sempre procure uma clareira (local onde exista espaço aberto suficiente para montar o acampamento). Monte a barraca e a noite acenda uma fogueira; muito cuidado para não incendiar a floresta e a barraca, deixe uma boa distância entre a fogueira, a barraca e a mata, lembre-se da força do vento! Ele pode estar soprando no sentido de ambas. O fogo faz com que alguns bichinhos indesejáveis não se aproximem. Ai você diz: Mas eu gosto de animais! Respondemos: Nós também, mas sempre é bom evitar uma cascavelzinha, não é verdade?!

4 - Para fazer essa fogueira, nada de ficar cortando árvores! Sempre existem gravetos espalhados pelo chão, assim como folhas caídas das árvores. Dica, apanhe as folhas e deixe-as sob os gravetos, acenda e eles com um tempinho, se queimarão, proporcionando a você uma boa fogueira.

5 - Faca, isqueiro e/ou fósforo. Itens essenciais para qualquer acampamento. Deixar que os fósforos se molhem é mancada!

6 - Se acampar na praia, sempre forre de areia os cantos externos de sua barraca. Já é uma proteção contra a força de um eventual vento "Noroeste".

7 - É aconselhável armar a barraca à sombra de uma árvore. À noite pode esfriar um pouquinho, mas você deve ter levado algo para se aquecer. Já durante o dia, o calor pode estar insuportável e uma sombrinha sempre ajuda! Mas, se houver ameaça de chuva, é melhor se afastar; há o perigo dos raios.

8 - No camping selvagem ou não, sempre tenha à mão sacos de lixo, recolha tudo que utilizou e leve de volta ou se tiver alguém responsável pelo lixo no local, dirija-se a ele. Alguns lugares fazem coleta seletiva, tendo tambores próprios para plásticos, lixo orgânico etc. Não custa nada você ajudar!

9 - Não deixe alimentos ao redor de sua barraca. Resto deles, nem pensar, eles atraem animais e você acaba transgredindo a dica anterior: lixo é no lixo.

10 - Se estiver em um local que sua barraca possa ser "invadida" por formigas, faça uma pequena cova em torno da barraca e jogue cinzas (resto de fogueira) nela. Isso ajudará a afastar as formigas e outros insetos.

11 - Por precaução, aconselhamos que, ao sair da barraca, deixe tudo bem trancado. Um mini cadeado para o zíper da barraca pode não garantir a segurança total dos "bens" que lá estão, mas dão um "trabalhinho" maior aos intrusos.

12 - É sempre bom levar um colchonete, principalmente se você for ficar acampado por muitos dias. Existem vários colchões infláveis no mercado, até para casal. Mantas, lençóis, cobertores ou sacos de dormir são dispensáveis, depende de você.

13 - Dobrem as roupas como um "rocambole": é mais prático para achar alguma peça e sobra mais espaço para a velha companheira de carga carregar outras coisas, como um kit de higiene pessoal (que é barra se você esquecer!).

14 - Outra coisa chata de esquecer é o repelente. Caso tenha esse azar, amasse cravos-da-índia com álcool em um recipiente, deixando de molho por duas horas. Passe no corpo, mas cuidado com o fogo, espere o álcool evaporar.


15 - Nada de guardar gás descartável ou botijões dentro da barraca. Eles podem vazar e causar uma explosão. Já presenciamos barraca pegar fogo por causa disso. Cuidado!

TOCA DA RAPOSA EM SIMÃO DIAS, A MAIOR GRUTA SERGIPANA

A Toca da Raposa é a maior gruta sergipana já catalogada, ela tem 200 metros de extensão e se encontra em uma propriedade rural no povoado Raposa na cidade de Simão Dias.

A milênios as cavernas encantam o homem,
elas eram usadas como abrigo, hoje o que restou nos permite conhecer a vida e os hábitos dos nossos ancestrais.

As cores e frestas nas pedras vão formando desenhos que mechem com a nossa imaginação.

As cavernas são classificadas basicamente em grutas horizontais e abismos verticais, tetos baixos, galerias altas, salões
amplos, corredores estreitos, uma mistura que envolve mistério. Frágeis e fascinantes, as cavernas atraem pessoas pelos mais diversos motivos, científicos ou religiosos, curiosidade ou aventura.

As pequenas gotas que caem do teto mostram como tudo começou a milhares de anos, de cima nascem as formações rochosas, estalactites que ainda continuam enfeitando a caverna. As colunas são as formas que resultam do encontro de duas rochas que nascem em sentidos opostos. Mas a beleza deixada pela natureza corre riscos, pessoas ao entrarem na caverna acabam riscando as paredes que são um patrimônio natural. Todos devem se conscientizar que estes atos que são considerados vandalismo devem acabar.

NÃO DEIXE DE CONHECER O PARQUE DOS FALCÕES

A aproximadamente 45 Km de Aracaju, localizado aos pés da Serra de Itabaina-SE, ao lado do Parque Nacional de Reserva Natural, o Instituto Parque dos Falcões foi construído através do trabalho e esforço de dois sonhadores, José Percílio e Alexandre Correia, e de alguns admiradores e colaboradores.
Alexandre tornou-se "cúmplice" de Percílio no ano de 1999, mas a história do Instituto começou ainda na infância do fundador. Aos 7 anos, Percílio ganhou um ovo de Carcará (Caracara plancus), e depois de 28 dias sendo chocado por uma galinha, nasceu Tito, seu primeiro grande amigo. (Ano de 1984). Hoje, Tito tem 25 anos e o Instituto cuida de mais de 300 aves, entre gaviões, falcões, corujas, socós-boi, pombos, etc.
Já conhecido por muitos turistas, estudantes, biólogos, e pesquisadores brasileiros e estrangeiros, o Instituto é um dos únicos locais do país com autorização do IBAMA para a criação dessas aves em cativeiro. (Ano de 1990). Com o objetivo de salvar e proteger as espécies de aves de rapina que habitam o céu brasileiro, o Instituto Parque dos Falcões tornou-se uma referência no manejo, reprodução e reabilitação desses animais, acumulando um grande conhecimento sobre o seu comportamento. Todos os meses, o Instituto recebe através do IBAMA, da Polícia Ambiental e do Corpo de Bombeiros, aves maltratadas, machucadas ou mutiladas pela ação humana, que parece satisfazer-se com o sofrimento desses e de muitos outros animais.
O Instituto Parque dos Falcões está aberto ao público todos os dias da semana. Para chegar ao centro conservacionista siga de Aracaju em direção à Itabaiana. Depois de passar pelo município de Areia Branca (km-34), percorra aproximadamente 9 km. No lado direito, há uma placa indicativa sobre o Instituto. Entre por essa estrada (única parte do trajeto não asfaltado) e percorra mais 2,5 km. É indispensável agendar previamente a sua visita. Acesse: http://www.parquedosfalcoes.com.br